FESTIVAL “MENOS ÁLCOOL, MAIS VIDA” - I.ª EDIÇÃO - 2017

Festival

ENQUADRAMENTO

A produção e o consumo de bebidas alcoólicas em Cabo Verde são uma preocupação, não só das autoridades, mas também dos cidadãos, pela dimensão do problema.

O volume e a qualidade das bebidas alcoólicas consumidas, o envolvimento de adolescentes no consumo em idades cada vez mais precoces e a falta de fiscalização das leis que o condicionam, o aumento da violência, as consequências negativas para a saúde, os acidentes rodoviários, os problemas no meio laboral, o desemprego e a pobreza, a desestruturação e/ou disfuncionalidade familiar, são alguns dos aspetos que fundamentam esta preocupação geral com o fenómeno do uso abusivo de bebidas alcoólicas no país.

Um dos problemas que condiciona poderosamente as respostas ao uso abusivo de bebidas alcoólicas é a prática de grande consumo de bebidas alcoólicas, enraizada na cultura e aceite pela sociedade cabo-verdiana.

Evidências mostram que as famílias gastam 2% do seu orçamento em bebidas alcoólicas, percentagem sensivelmente igual à que gastam com as despesas de saúde e que é cerca do dobro do que gastam com a educação (INE/IDRF, 2002).

Segundo dados nacionais sobre a prevalência de consumo de substâncias psicoativas na população geral (CCCD e ONUDC, 2013), o álcool é a droga mais consumida em Cabo Verde, com uma taxa de prevalência geral de 63,5% (população inquirida de 15-64 anos que declarou ter consumido bebidas alcoólicas ao longo da vida), sendo entre os homens de 81.3% e entre as mulheres de 49.5%.

Quanto à prevalência do consumo nocivo de bebidas alcoólicas, isto é, superior a 60 mg/dia para homens e a 40 mg/dia para mulheres, é de 2,9% e 0,2%, para homens e mulheres, respetivamente (PNDS 2012-2016). O consumo perigoso (40-60mg/dia para homens e 20-40mg/dia para mulheres) é de 6,35% entre os homens e 2,4% nas mulheres (Idem).

As prevalências de consumo variam entre ilhas/concelhos, sendo mais elevadas nas ilhas de S. Vicente (84,5%), S. Nicolau (83%), S. Antão (80,9%), Maio (80,7%), Sal (78,6%), Boavista (69,2%) e Praia (64,5%), os quais apresentam valores acima da prevalência nacional (CCCD e ONUDC, 2013).

A cerveja é a bebida alcoólica mais consumida em Cabo Verde (86%), seguindo-se os licores/cocktails (71%), o vinho (68%), a água ardente (41%) e as bebidas espirituosas (39%) (CCCD e ONUDC, 2013).

O início do uso de bebidas alcoólicas ocorre em idades cada vez mais precoces: cerca de 37% dos indivíduos tem o primeiro contacto com bebidas alcoólicas entre os 7 e os 17 anos de idade (CCCD e ONUDC, 2013).

Um estudo realizado pela Associação Para a Solidariedade e os Direitos Humanos Zé Moniz (AZM, 2005) indica que 40% dos jovens do ensino secundário tinham experimentado bebidas alcoólicas. Aos 13 anos, cerca de 30% dos adolescentes já tinham experimentado bebidas alcoólicas, dos quais cerca de 15% já se tinha embriagado de 1 a 3 vezes; aos 15 anos, cerca de 40% tinham experimentado e cerca de 22% já tinham estado embriagados de 1 a 3 vezes; nos maiores de 16 anos, mais de 55% já tinham experimentado, dos quais, 31% tinham estado embriagados de 1 a 3 vezes (idem).

Este cenário é agravado pelo consumo de bebidas alcoólicas de baixa qualidade, com alto teor de álcool e outras substâncias nocivas para a saúde, produzidos e comercializados ilegalmente, a custo extremamente reduzido, aumentando exponencialmente os efeitos para a saúde e as consequências, a diversos níveis, que o uso de bebidas alcoólicas, nessas condições e por tempo prolongado, implicam.

  1. Justificação

Medidas urgentes devem ser adotadas para mitigar, de forma significativa, este mal que está a afetar a sociedade, a economia e a saúde cabo-verdiana.

A realização do festival menos álcool mais vida, servirá como um marco para uma nova largada nesta campanha.

Os festivais em Cabo Verde têm a sua centralidade no álcool. Estima-se que se realiza cerca de 300 festivais anuais em todo o país, o que dá uma média de 1 festival por dia (0,8 festivais diários)

  1. Objetivos
    1. 1.Objetivo geral

Prevenir e reduzir o uso abusivo de bebidas alcoólicas, através de ações que proporcionem mudanças de comportamento com adoção de estilos de vida saudáveis em articulação estreita com a redução do acesso às mesmas.

  1. 2.Objetivos Específicos
  2. Estabelecer mecanismos para reforço das políticas fiscais de controlo da produção, importação e distribuição de bebidas alcoólicas.
  3. Desenvolver/reforçara plataforma legal de controlo da produção, importação e distribuição de bebidas alcoólicas.
  4. Estabelecer uma estratégia de comunicação para mudança de comportamento.
  5. Desenvolver capacidades das estruturas de base (incluindo as famílias) no controlo do uso abusivo de bebidas alcoólicas.
  6. Apoiar a concretização das políticas e dos programas governamentais relacionados com a prevenção do uso abusivo de bebidas alcoólicas.
  7. Aumentar a vigilância sobre o consumo de bebidas alcoólicas e realizar pesquisas sobre a problemática do seu uso abusivo.
  8. Desenvolver a capacidade de coordenação e de desenvolvimento da Campanha.

 

 

 

PROGRAMA

Data: 29 de Abril de 2017.

Horário: 9H às 20H.

Local: praia da Gamboa (Avenida dos Combatentes – Frente a Electra)

Público-alvo: crianças e adolescentes, jovens, adultos, idosos, pessoas com deficiência. Enfim, será um festival para toda a família e todas as pessoas, esperando-se acolher cerca de 10.000 (dez mil) pessoas.

  1. Programação

§09:00 Horas – Abertura com animação musical e Praião do Desporto (CMP).
§10:00 Horas – Exposição de artesanato / Rappel com militares e Escuteiros.
§10:30 – Aulas de Aeróbica e ginásio ao ar livre.
§12:00 Horas – Insufláveis, jogos para crianças e pintura facial.
§14:00 Horas – Jogos de voleibol, basquete e balizinha.
§15:00 Horas – Natação, Bote a Remo, velocidade na areia e outros.
§15:00 Horas – Demonstração de Kit-surf.
§15:30 Horas – Batucadeiras.
§15:30 Horas – Actuação para crianças (palhaços, circo, Escola Pentagrama).
§16:00 Horas – Gala Mostra de Dança em comemoração do Dia Internacional da
Dança (Yakuarella Produções).
§17:00 Horas – Música Sacra (participação das entidades religiosas parceiras).
§17:30 Horas – Actuação dos artistas musicais seniores (Djó Da Silva, Gugas Veigas e
Yakuarella Produções).
§20:00 Horas – Encerramento do festival.

A iniciativa presidencial da campanha para a prevenção do uso abusivo do álcool “Menos álcool, mais Vida” foi a escolhido pela Cabo Verde Music Awards (CVMA) 2017 para parceria da responsabilidade social.

CVMA1O Chefe da Casa Civil da Presidência da República, Manuel Faustino, recebeu o prémio pelos organizadores do evento na gala que aconteceu no passado 06 de Maio de 2017. Para além da Presidência da República de Cabo Verde, a iniciativa conta com mais promotores a saber: o Ministério da Saúde e Segurança Social, o Ministério da Educação e a Organização Mundial da Saúde, bem como, parceria de mais de sete dezenas de entidades estatais e da sociedade civil.

Page 4 of 4

© 2017 Menos Alcool, Mais Vida. All Rights Reserved. Designed By NOSi

Please publish modules in offcanvas position.